• CENTENÁRIO DE MURILO RUBIÃO NA CASA DAS ROSAS

    CENTENÁRIO DE MURILO RUBIÃO NA CASA DAS ROSAS

    De 5 a 29 de julho de 2016

     Enquanto se consagrava a literatura regional brasileira nas décadas de 1930 e 1940, com as importantes figuras de Jorge Amado, Graciliano Ramos e José Lins do Rego, entre outros, um escritor mineiro criava histórias absurdas com personagens surreais. Era Murilo Rubião (1916–1991), um dos pioneiros da literatura fantástica no Brasil e na América Latina. A partir do dia 5 de julho, os fãs de literatura e visitantes da Casa das Rosas poderão conhecer a trajetória e as obras murilianas, na mostra Quase Roteiro – Centenário de Murilo Rubião.

    Com curadoria de Cleber Cabral, a exposição reúne cartas, fotografias, livros, manuscritos, programas das montagens teatrais e rascunhos. Assim, apresenta um percurso pela trajetória fantástica do autor de O Ex-Mágico (1947), O Pirotécnico Zacarias (1974), A Casa do Girassol Vermelho (1974) e O Homem do Boné Cinzento e Outras Histórias (1990). Rubião, explica Cabral, tem poucas obras, porém significativas para a literatura brasileira.

    O evento é uma parceria das Oficinas Culturais do Governo do Estado de São Paulo, tendo iniciado na Oficina Cultural Gerson de Abreu, durante o 4º Festival Paulista de Literatura de 2016.

    Serviço:

    Quase Roteiro – Centenário de Murilo Rubião

    Curadoria: Cleber Cabral | Parceira: Oficinas Culturais

     +55 (11) 3285.6986 | 3288.9447 • contato@casadasrosas.org.br

    Av. Paulista, 37 • Bela Vista • CEP 01311-902 • São Paulo • Brasil

  • APOSTILA DE HAIA

    Cartórios das capitais serão os primeiros, diz CNJ

    Os cartórios das capitais estaduais serão os primeiros a serem treinados e a oferecerem o serviço de emissão da apostila da Haia pelo Sistema Eletrônico de Informação e Apostilamento (SEI Apostila), a partir do dia 14 de agosto. A informação foi confirmada nesta terça-feira (28/6) pelo secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Fabrício Bittencourt da Cruz, durante VII Fórum de integração jurídica da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR).

    Durante o evento, Bittencourt, que também é o presidente do Grupo de Trabalho do SEI Apostila no CNJ, reforçou a importância da parceria entre o CNJ, o Ministério das Relações Exteriores (MRE) e os cartórios. “Os cartórios têm expertise para oferecer um excelente serviço”, comentou durante o evento.

    Existem 15 mil cartórios extrajudiciais distribuídos em todos os estados e municípios brasileiros. A expectativa do CNJ é de que, até o final do ano, todos já estejam habilitados para oferecer o serviço de emissão de apostilas. “Nossa maior preocupação é com a qualidade do serviço. Precisamos que todos os serviços estejam funcionando perfeitamente dentro do prazo. É um sistema simples, intuitivo e seguro”, afirmou o secretário-geral.

    O CNJ oferecerá um vídeo de treinamento para a Anoreg repassar a seus associados e começar o treinamento. “Devemos fazer o treinamento à distância, para acelerar o processo e estarmos prontos dentro do prazo estimulado pela Convenção da Apostila da Haia no Brasil”, declarou o presidente da Anoreg, Rogério Portugal Bacellar.

    Atualmente, para um cidadão brasileiro legalizar algum documento a ser utilizado no exterior, é necessário reconhecer as firmas em um cartório comum, depois autenticar o reconhecimento de firma perante o Ministério das Relações Exterior (MRE), e então reconhecer a autenticação do MRE em uma embaixada ou consulado do país estrangeiro de destino do documento. Com o SEI Apostila, bastará a emissão da apostila no cartório, na cidade de origem do interessado, de onde o cidadão sairá com o documento apostilado, aceito em qualquer um dos 111 países parte da Convenção. Esse documento terá um QR Code por meio do qual será possível verificar a autenticidade da apostila e sua relação com o documento apostilado.

    “Com a participação dos cartórios, estamos dando um grande passo no sentido da desburocratização o sistema, simplificando a vida do cidadão”, comentou o conselheiro André Veras Guimarães, do MRE. O conselheiro destacou ainda que a necessidade de tradução juramentada ainda existirá, a depender da demanda das autoridades estrangeiras.

    Paula Andrade
    Agência CNJ de Notícias

    – ENTREVISTA
    O Juiz Federal do Conselho Nacional Justiça, Fabrício Bittencourt, apresentou aos participantes do VII Fórum de Integração Jurídica, realizado na última terça-feira (28/06) em Brasília, como os cartórios legalizarão documentos pela Apostila de Haia, utilizando o Sistema Eletrônico de Informação e Apostilamento (SEI Apostila).

    Com a mudança, a partir do dia 14 de agosto os cartórios situados nas capitais dos estados prestarão à população serviços ligados a legalização de documentos para que os mesmos sejam reconhecidos no Exterior.

    O vídeo tutorial do apostilamento está no link https://goo.gl/lyMGsU. O modelo está disponível aqui e o certificado apostolado, aqui.

    Acompanhe abaixo entrevista feita com Bittencourt sobre o tema:

    Anoreg-BR – O que é o apostilamento e como será a participação dos cartórios neste novo sistema?
    Fabrício Bittencourt – O apostilamento é necessário para que um documento emitido no Brasil seja reconhecido e tenha validade fora do País.
    Na verdade é uma nova versão de um serviço que sempre foi prestado pela República Federativa do Brasil só que sob nova legalização e com a participação da rede de cartórios. Havia uma burocracia muito grande, uma perda de tempo enorme e um custo muito alto, inclusive de deslocamento para a pessoa que precisava deste serviço.
    O ato de apostilar é uma nova atribuição a rede de cartórios. Quando o cidadão chegar para reconhecer a firma de um diploma universitário, por exemplo, para que ele tenha validade no exterior, o próprio cartorário que faz o reconhecimento da assinatura terá atribuição de apostilar o documento. A partir disso, ele será válido nos 111 países que hoje são signatários da Convenção de Haia.

    Anoreg-BR – Quem poderá fazer o apostilamento?
    Fabrício Bittencourt – A partir de 14 de agosto de 2016 todos os cartórios das capitais do país serão autorizados a apostilar. Fora das capitais, o cartório deverá fazer um pedido específico a Corregedoria Nacional de Justiça.

    Anoreg-BR – Quais os requisitos físicos que um cartório precisa para prestar este serviço?
    Fabrício Bittencourt – Basicamente um bom escanner, carimbo e caneta esferográfica. Isso porque o CNJ tem o sistema e o alocou em nuvem. Por isso, não haverá a necessidade de compra e instalação de sistemas ou downloads, pois bastará acessar o site do CNJ para fazer o apostilamento.

    Anoreg-BR – Será necessário fazer algum treinamento ou cadastro?
    Fabrício Bittencourt – Sim, estamos disponibilizando um curso à distância sobre apostilamento. Para se cadastrar, aentidade interessada deverá comprovar a realização do curso e fazer uma solicitação junto ao CNJ.

    Anoreg-BR – Por que os cartórios foram escolhidos para prestar este serviço?
    Fabrício Bittencourt – Na verdade a escolha foi em virtude da capilaridade dos cartórios. Existe evidentemente documentos que são de uso do próprio Poder Judiciário que pela opção do CNJ será apostilado pelos magistrados para fins judiciais. Todos os demais documentos da vida civil serão apostilados pela rede de cartórios.

    Anoreg-BR – Como o CNJ avaliou a questão dos emolumentos e também das atribuições dos cartórios para a designação deste serviço?
    Fabrício Bittencourt – Tivemos dificuldades metodológicas e de legitimidade. O CNJ é o órgão administrativo do Poder Judiciário, sendo assim, ainda que haja a legitimidade normativa, o Conselho não teria como criar uma taxa para o ato específico do apostilamento. Também esbarraríamos em questões federativas, pois ainda que tivéssemos essa competência tributária não poderíamos fazer na esfera federal via Congresso Nacional – o que não seria adequado no contexto dos Estados, onde se localizam as entidades registrais. Para estabelecer um valor usamos a tabela já existente na rede de cartórios e optamos por definir que o apostilamento tenha o mesmo custo da procuração sem valor definido.

    Anoreg-BR – Qual a importância da segurança jurídica dos cartórios neste cenário?
    Fabrício Bittencourt – Foi graças à credibilidade e a confiança na própria rede de cartórios que o CNJ deu os primeiros passos nessa jornada que realmente é revolucionária.

    Fonte: Assessoria de Imprensa da Anoreg-BR

  • Projeto de Lei (PL) 4625/16

    Conforme publicação do Diário Oficial da União, de 24 de maio de 2016, o Presidente Interino Michel Temer retirou a urgência constitucional de três Projetos de Lei que estavam segurando a pauta, dentre eles, o PL 4625/16.

    Isso significa que teremos mais tempo e será possível até reescrever o PL através de uma emenda substitutiva. Ainda deverá ser definido se serão 5 ou 10 sessões para cada uma das duas comissões que irá emitir decisão de mérito: Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços – CDEICS e Comissão de Cidadania e Justiça – CCJ. A primeira comissão a analisar o PL será a CDEICS.

    Foi indicado um deputado como nosso relator mas, como a nomeação foi aleatória em função da constituição da nova composição, o Deputado poderá ainda “devolver” o caso à Presidência da CDEICS e outro deputado, necessariamente da própria CDEICS, seria nomeado. Uma vez resolvido o relator da CDEICS, não será mais necessário ir toda semana para Brasília. Mas o trabalho de monitoramento e divulgação terá que prosseguir.

    Já conhecem a campanha de arrecadação de fundos do Grupo Juramentados Unidos? Acesse nossa página no Facebook e compartilhe! Contamos com sua contribuição!
    A nossa campanha acaba de adotar um caminho mais longo, pois vamos precisar manter a ação por um bom tempo.

    Em breve, divulgaremos a prestação de contas dos valores recebidos em maio/2016.

    Diretoria ATPIESP

  • O Museu da Imigração realiza a 21° edição da Festa do Imigrante. Todos os anos, inúmeras culturas são reunidas a fim de celebrar a variedade de nacionalidades dentro do Estado de São Paulo. 

    Este ano, a festa acontecerá nos dias 5, 11 e 12 de junho, com uma vasta programação de gastronomia, artesanato, dança e música, entre outras atividades para toda a família.

    Serão 41 expositores de alimentação, 31 de artesanato e 45 grupos de apresentação artística nos três dias do evento, chegando a 40 nacionalidades desempenhadas em numerosas apresentações. Em 2015, mais de 20 mil pessoas participaram das atrações da festa.

    E não será diferente dessa vez: haverá interação do público com os expositores nas oficinas de artesanato – como a de origami, marguciai (pintura em ovos típica da Lituânia) e bordado Madeira, típico da Ilha da Madeira. Workshops de dança com iniciação a diferentes ritmos, como as aulas de tango, polca paraguaia, danças gregas e de Cuba.  Oficinas de culinária no espaço “Temperos no Mundo”, membros de comunidades e chefs de cozinha irão ministrar aulas sobre o preparo de receitas: sanduíche banh bi (Vietnã), badjia (Moçambique), samosa (Índia), lumblija: o pão da memória (Croácia) e gazpacho (Espanha) são alguns exemplos.

    As crianças não estão de fora: terão um cantinho especial reservado para recreação. Kiara Terra, renomada especialista da área, contará histórias e conduzira brincadeiras e jogos de outros povos.

    Para conferir a programação completa do evento, acesse o site: http://museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante/

    Datas: 5, 11 e 12 de junho de 2016  |  Horário: 10h às 17h (bilheteria)

    Local: Rua Visconde de Parnaíba, nº 1316 – Mooca –São Paulo

    Ingresso: R$ 6,00 

    Informações: (11) 2692-1866 ou www.museudaimigracao.org.br

  • Projeto de Lei (PL) 4625/16

    Projeto de Lei (PL) 4625/16

    A ATPIESP tem a imensa satisfação em poder compartilhar que o grupo Juramentados Unidos, formado por todas as associações de Tradutores Públicos e Intérpretes Comerciais do Brasil (Ceará, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo), se uniu para combater o PL 4625/2016. Conforme informamos anteriormente, este Projeto de Lei pretende extinguir a tradução pública tal como a conhecemos hoje, sem qualquer consulta às Juntas Comerciais ou associações.

    Durante o mês de abril, o grupo Juramentados Unidos articulou a coalizão para combater o PL e atuou diretamente em Brasília para a reformulação do texto do projeto. Elaboramos emendas, conseguirmos o apoio de deputados para representar os TPICs e a colaboração de chefes de gabinete para que possamos atingir o nosso objetivo.

    O projeto de lei 4625/16 entrou na pauta de surpresa no início de abril e os Juramentados Unidos imediatamente entraram em ação, viajando às pressas para Brasília para situar o movimento no plenário. Colegas do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Brasília puderam estar presentes.

    Conforme comunicamos por e-mail, o grupo também já havia consultado a Dra. Nádia de Araujo, Professora e Doutora em Direito Internacional e Mestre em Direito Comparado, que assinou uma Nota Técnica a respeito do PL 4625/16, em 12 de abril. Participamos, ainda, do Encontro Nacional de Juntas Comerciais – ENAJ/2016, em Ouro Preto, Minas Gerais, com representantes da ATPIESP, ATP-Rio e ATPMG.

    Permanecemos debatendo as questões e aguardando as próximas movimentações com relação ao projeto de lei.

    Mantenha-se informado através da página oficial do grupo no Facebook.

    Diretoria ATPIESP

  • Screen Shot 2016-05-06 at 5.30.36 PM

    Uberlândia, Minas Gerais

    De 20 a 23 de setembro de 2016

    O ENTRAD – Encontro Nacional de Tradutores – é um evento promovido pela ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISADORES EM TRADUÇÃO (ABRAPT), e tem abrangência de público nacional e internacional, incluindo docentes, pesquisadores, profissionais liberais, pós-graduandos, graduandos e demais interessados nas áreas de Tradução e Interpretação. A décima segunda edição nacional e sexta edição internacional do encontro serão organizadas pelo Curso de Tradução do Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia, em parceria com outros docentes de instituições nacionais e internacionais.

    O evento, que ocorre trienalmente, tem sido uma oportunidade concreta para o surgimento de projetos integrados de ensino e pesquisa, envolvendo docentes de várias universidades brasileiras, e propiciando um espaço de intercâmbio e conhecimento entre pesquisadores brasileiros e estrangeiros.

    No ENTRAD 2016, serão contempladas 15 grandes áreas temáticas que abrangem os Estudos da Tradução e Interpretação. Confira as áreas temáticas.

    Saiba mais

  • Screen Shot 2016-05-06 at 5.25.37 PM No dia 19 de abril, foi inaugurada a exposição Criação de Macunaíma, na Casa Mário de Andrade, contendo objetos referentes à criação do livro, entre eles: fac-símiles dos originais do romance (acervo IEB – Instituto de Estudos Brasileiros da USP); exemplar da edição original do livro Macunaíma, de Mário de Andrade, pertencente ao acervo da Casa Guilherme de Almeida; a partitura de Camargo Guarnieri e outros documentos e publicações relativos à obra.

    A entrada é gratuita.

    Casa Mário de Andrade

    Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – Cep: 01154-010 – São Paulo – SP

    Telefone: (11) 3666-5803 / 3826-4085 | casamariodeandrade@oficinasculturais.org.br

    Funcionamento: Terça a sábado, das 10h às 18h.

  • A Casa Guilherme de Almeida – Centro de Traduções Literárias oferece, no período de março a dezembro, palestras gratuitas na área de tradução literária. As atividades são dirigidas especialmente aos alunos e ex-alunos do Centro, porém, está aberta à participação do publico em geral. As vagas são limitadas. Se o interessado participar em pelo menos 75% das atividades, poderá receber certificação referente a todo ciclo.

    Para saber mais, acesse a programação completa do Centro de Estudos.

  • PLAYGROUNDS 2016

    De 17 de março a 24 de julho de 2016, o MASP apresenta o projeto de arte contemporânea Playgrounds 2016, que contará com seis novas propostas de artistas e coletivos em torno do que é o espaço comum, o lazer, o lúdico e a participação dos públicos no museu. Os convidados são: Ernesto Neto (Rio de Janeiro), Yto Barrada (Marrocos), Céline Condorelli (França/Inglaterra), Rasheed Araeen (Paquistão/Inglaterra) e os coletivos Grupo Contrafilé (São Paulo) e O Grupo Inteiro (São Paulo).

    O nome Playgrounds é apropriado da exposição individual homônima do artista brasileiro Nelson Leirner, realizada na inauguração do edifício do MASP, na Avenida Paulista, em 1969. A exposição Playgrounds, de Leirner, ocupou o Vão Livre do museu com uma série de obras participativas dispostas ao ar livre, ativando a rua e o espaço urbano e misturando os limites entre arte e a vida. A nova montagem de Playgrounds 2016, porém, não pretende recriar a exposição original com obras de Leirner, mas sim recuperar a dimensão do engajamento e do jogo como uma forma emancipatória e um modo de organizar a vida social e coletiva da comunidade do museu.

    Essa dimensão está presente também na concepção museológica da arquitetura de Lina Bo Bardi, que atribuiu grande importância ao espaço público e às possibilidades que ele oferece no processo de construção de comunidades. Em um dos desenhos de Lina para o museu, Esculturas praticáveis do Belvedere, Museu Arte Trianon (1968), a arquiteta retrata a área do Vão Livre como um playground para crianças. Com essa proposta, as crianças não só trariam alegria ao museu, mas também poderiam ter interesse em adentrá-lo e conhecer o acervo por vontade própria.

    Neste ano, Playgrounds 2016 será um projeto interdisciplinar, que ocupará o Vão Livre e o 2º subsolo do MASP, integrando a exposição aos programas públicos e de mediação do museu, iniciativa que faz parte da reformulação do programa educativo iniciada em 2015. Dessa forma, Playgrounds 2016 pretende estabelecer espaços de diálogos e atividades no próprio espaço expositivo. A educação, antes um “serviço” oferecido após a concepção das exposições, se difunde em todo o museu – entendido como um ambiente de convivência, formação e compartilhamento de conhecimento que pode engajar diferentes públicos de modos variados.

    Playgrounds 2016 tem curadoria de Adriano Pedrosa (diretor artístico do MASP), Julieta González (curadora de Arte Moderna e Contemporânea) e Luiza Proença (curadora de Mediação e Programas Públicos).

    Data: 18 de março a 24 de julho de 2016
    Local: 2º subsolo, mezanino e Vão Livre do MASP
    Endereço: Avenida Paulista, 1578, São Paulo, SP
    Telefone: (11) 3149-5959
    Horários: terça a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30);
    quinta-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30)
    Ingressos: R$25,00 (entrada); R$12,00 (meia-entrada)
    O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo.

    http://masp.art.br/masp2010/exposicoes_integra.php?id=260&periodo_menu=

  • MARÇO E ABRIL DAS MULHERES

    Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, a #CasadasRosas promove uma série de atividades protagonizadas por mulheres nos meses de março e abril.

    Confira a programação completa no site: www.casadasrosas.org.br