• PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO
    Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes
    Departamento de Inglês

    *

    10ª JORNADA DE REFLEXÕES SOBRE TRADUÇÃO, LINGUAGEM E CULTURA

    Organização:
    Glória Regina Loreto Sampaio
    Leila Cristina de Mello Darin
    Reynaldo José Pagura
    Luciana Carvalho Fonseca

    Apoio:
    Grupo de Pesquisa Estudos da Tradução e da Interpretação – ESTI
    Cadastrado no CNPq e Certificado pela PUC-SP

    *

    Sábado, 14 de setembro de 2013
    8h30 às 12h / 13h às 16h45
    Campus Monte Alegre
    Edifício Reitor Bandeira de Melo
    Auditório 239

    *

    Entrada franca.
    Inscrições a partir das 08.30h no local e data do evento.
    Haverá emissão de Certificados.

    PROGRAMAÇÃO

    Resumos e Biodata

    PERÍODO MATUTINO

    9h – Cerimônia de Abertura

    9h20 às 10h20

    Conferência nº 1:
    “Interpreting Studies: The pivotal role of training”
    Franz Pöchhacker (University of Vienna)

    Abstract: The role of theory/research in interpreter education as well as aspects of curriculum and assessment (from the perspective of our 70-year experience in Vienna).

    Biodata: Franz Pöchhacker is Associate Professor of Interpreting Studies in the Center for Translation Studies at the University of Vienna. He was trained as a conference interpreter (A: German, B: English, C: Spanish) at the University of Vienna, Austria (1982-1987) and at the Monterey Institute of International Studies, USA (1987-1988), and has been working freelance as a conference interpreter since 1988 and as a media interpreter for Austrian television since 1994. Since 1989 he has held a full-time research and teaching position in the area of translation and interpreting at the University of Vienna. Following his doctoral dissertation on simultaneous conference interpreting (Simultandolmetschen als komplexes Handeln; Gunter Narr 1994), he devoted his postdoctoral research to general issues of Interpreting Studies as a discipline and to empirical work on community interpreting in healthcare and social service settings (Dolmetschen. Konzeptuelle Grundlagen und deskriptive Untersuchungen; Stauffenburg 2000). He served for two terms of office as Secretary General of the European Society for Translation Studies (1993-1998), held visiting professorships at the University of Graz and at Guangdong University of Foreign Studies, China, and was CETRA Chair Professor in the 24th Research Summer School in Translation Studies at KU Leuven, Belgium, in 2012. He has lectured widely and published more than 100 papers and reviews. His textbook Introducing Interpreting Studies (Routledge 2004) has been translated into several languages, and he is co-editor of The Interpreting Studies Reader (Routledge 2002) and Interpreting: International Journal of Research and Practice in Interpreting (John Benjamins) and Associate Editor of the “Benjamins Translation Library” series. He also co-edits the German book series “Translationswissenschaft” (Gunter Narr) and serves on the editorial advisory boards of several journals.

    INTERVALO

    10h50 às 11h50

    Conferência nº 2:
    “Post-translation studies: Fiction in translation/translation in fiction”
    Edwin Gentzler (University of Massachusetts, Amherst)

    Abstract: In Translating Montreal (2006), Sherry Simon discusses how translations influence creative writing, art, architecture, streets, buildings, shops, and museums. Traditional definitions of translation are shown to be too limited to analyze the vibrant multicultural life in the city and the hybrid forms of communication that take place there, many of which happen after translation. Post-translation studies begins the analysis of the after-shocks of translation and their impact on larger cultural and societal institutions and forms. In this paper, I look at the beginnings of post-translation by a group of scholars in Italy working in translation and semiotics, and then turn to my own research analyzing the impact of translation on creative writing in the United States. I suggest translation inheres in many forms of creative writing, including fiction, immigrant writing, autobiography and biography, travel writing, journalism, and what I call transfiction–writing in which translation appears as a theme or character in a book.

    Biodata: Edwin Gentzler is a Professor of Comparative Literature and Director of the Translation Center at the University of Massachusetts Amherst. He is the author of Translation and Identity in the Americas: New Directions in Translation Theory (Routledge, 2008) and Contemporary Translation Theories (Multilingual Matters, 2001), which has been translated into Italian, Portuguese, Bulgarian, Arabic, Persian, and Chinese. He is the co-editor (with Maria Tymoczko) of the Translation and Power (University of Massachusetts Press, 2002), and numerous articles in journals such as Translation, TIS, Perspectives, Target, and Translation and Literature. He serves on the executive committee of the Nida School for Translation Studies. He was co-editor (with Susan Bassnett) of the Topics in Translation Series for Multilingual Matters in the United Kingdom for fifteen years, editing over twenty volumes, and was one of the co-founders and executive committee member of ATISA (American Translation and Interpreting Studies Association). He is on the editorial board of a dozen other journals, including the Massachusetts Review, Perspectives, Across, Metamorphoses, the Journal of Chinese Translation Studies, and Cadernos de Tradução.

    INTERVALO

    PERÍODO VESPERTINO

    13h10 às 13h40

    Apresentação Musical:
    Coral Cantando no Quintal
    Regência: Ricardo Barison Violão: Ricardo Barison Percussão: Gustavo Godoy

    Programação:
    Sabiá (Luiz Gonzaga / arr: Gabriel Levy)
    O Velho e a Flor (Vinícius de Moraes / Toquinho)
    Mulher Sempre Mulher (Vinícius de Moraes / Tom Jobim / arr: Edu Fernandes)
    Água de Beber (Vinícius de Moraes / Tom Jobim / arr: Munir Sabag)
    Eu sei que vou te amar (Vinícius de Moraes / Tom Jobim / arr: Patrícia Costa)
    Deixa (Vinícius de Moraes / Baden Powell / arr: Ricardo Barison)
    Eu não existo sem você (Vinícius de Moraes / Tom Jobim / arr: Ricardo Barison)
    Andar com fé (Gilberto Gil// arr: Ricardo Barison)
    Só danço samba (Vinícius de Moraes / Tom Jobim / arr: Ricardo Barison)
    Berimbau (Vinícius de Moraes / Baden Powell / arr: Arlindo Teixeira)
    Por enquanto (Renato Russo // arr: Eduardo D. Carvalho)

    14h às 15h

    Palestra Interativa:

    “O Universo da Legendagem”
    Flávia Fusaro (Freelance /APIC)

    Resumo: Legendar um filme ou um vídeo vai além de uma simples tradução – requer a combinação de diversos recursos e habilidades com o objetivo de gerar sintonia fina entre texto, timing, conteúdo, qualidade da tradução e fidelidade ao original, além de outras habilidades essenciais. Tudo isso para passar a mensagem da trama de modo agradável e fácil. Você tem curiosidade de conhecer um pouco mais desse universo?

    Biodata: Flávia Fusaro é tradutora e intérprete, credenciada pela ATA – American Translators Association e membro efetivo da APIC – Associação Profissional de Intérpretes de Conferência. Especializada em legendagem há 15 anos, conta com mais de 2.000 títulos traduzidos entre longas-metragens e episódios de seriados para HBO, Netflix, Sony, Fox, DVDs, etc, entre eles: The Best Exotic Hotel Marigold, The Curious Case of Benjamin Button, Kill Bill 2, Cars, The Incredibles, Pirates of the Caribbean 2 and 3, Matrix Reloaded, Modern Family, Glee, Mad Men, além de muitos outros. Atualmente, dedica-se também à tradução simultânea.

    INTERVALO

    15h20 às 16h20

    Conferência nº 3:

    “Uma reflexão sobre o “Mundo da vida” e sua tradução em língua”
    Elizabeth Harkot-de-La-Taille (FFLCH-USP)

    Resumo: O “Mundo da vida” (Husserl) é concebível como um universo daquilo que é evidente ou dado imediato, um mundo que os sujeitos podem experienciar e viver conjuntamente, como uma arena coletiva de percepção. Para o filósofo alemão, o “Mundo da vida” é a base de toda experiência humana compartilhada, no sentido de que é o background sobre o qual todas as coisas surgem como elas mesmas e como tendo sentido. Esse horizonte é dinâmico, vivo, individual e coletivo, isto é, intersubjetivo, mesmo se cada pessoa necessariamente tem seu “próprio” Mundo da vida.

    O conceito de Mundo da vida permite entender que “o sentido das coisas” é moldado, acessível, comunicável e transformável pela coletividade que o compartilha. Permite também compreender que todo dado novo é apreendido dentro de seus domínios e parâmetros, marcados na língua que falamos e que herdamos. Assim, cada comunidade atualiza, por meio de seu arcabouço linguístico-discursivo, recortes do Mundo da vida que lhe são peculiares. Trata-se de um primeiro grau de tradução: das coisas em palavras e em culturas.

    É a partir daí que o tradutor entra em cena: ele deverá traduzir não “apenas” línguas, não “apenas” culturas, mas Mundos da vida, sempre necessariamente a partir de seu próprio, construído por suas experiências e intersubjetivamente, dentro de sua comunidade de pertença cultural.

    Biodata: Elizabeth Harkot-de-La-Taille é Livre-Docente pelo Departamento de Letras Modernas da FFLCH/USP. Seus interessses de pesquisa principais residem na construção da identidade pelo discurso e na criação, veiculação e transformação de valores sociais pelo discurso. (beth.harkot@uol.com.br)

    16h30 – Sessão de Encerramento

    *

    CORAL CANTANDO NO QUINTAL 

    coral

    O Coral Cantando no Quintal é um grupo independente, criado em março de 2013 por ex-integrantes do Coral Belas Artes – de São Paulo. O grupo pesquisa um Repertório de música popular brasileira, baseado principalmente na obra de Vinícius de Moraes, que, se estivesse vivo hoje, estaria completando 100 anos. O nome do grupo se deve ao local dos ensaios, que são realizados no quintal da casa de uma das coralistas.

    Apresentação: 14 de setembro de 2013

    PUC – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

    Regência: Ricardo Barison Violão: Ricardo Barison Percussão: Gustavo Godoy


    Integrantes:

    Sopranos:
    Ana Lucia C.Chagas Gronchi
    Cecília Irene N. Sapará
    Cleide Henrique
    Gisele Fermiano Moura
    Kathleen Westrup Hoepers
    Mariana Bisonti Taiara
    Pamela Abreu
    Rita Resende

    Contraltos:
    Christina B Pereira
    Laura Abe Quagliato
    Laura C Proa Felippe
    Leila de Godoy Temponi
    Magaly Aparecida Romão
    Nilza Bertrand
    Regina Almeida Peres da Silva
    Rosângela Andrade
    Tania Patusca Raphael

    Tenores e Baixos:
    Alexandre L. Magno
    Benedito Egydio S Neto
    Gustavo de Godoy Temponi da Silva
    Oswaldo Martins Filho

    Ricardo Barison é regente, violonista e arranjador. Estudou técnicas de regência. Além do Coral Cantando no Quintal, rege também os corais Coral Deluz, Coral Verde Encanto e do projeto Canto em Movimento. Canta no Coral Unifesp. Foi diretor musical do Grupo Vocal Balaio de Gatos. Estudou violão e fez cursos de percussão corporal com integrantes do grupo Barbatuques.